A VERDADE sobre CARBS que os "carbofóbicos" não vão te contar

Você com certeza já leu ou assistiu videos na internet sobre ingestão de carboidratos e o que faz dele o principal vilão quando falamos de perda de peso. E em 99,9% você vai ver “especialistas em redução de peso” apontando a ingestão de carboidrato como sendo a causa de sobrepeso e por que você não consegue reduzir percentual de gordura. Os argumentos são bem elaborados, com embasamento “científico”, o que acaba tornando a teoria convincente e quase irrefutável.

Até você ler este post.

Nele eu vou falar a verdade que ninguém te conta sobre carboidratos: o que são, quais os tipos diferentes, quais você deve consumir e quais você deve evitar, sexta no Globo Repórter. Sem enrolação e sem tentar te vender nada. Apenas fatos. Nele não vou te apontar um estudo específico que fala sobre o carboidrato, mas te mostrar qual o consenso da ciência sobre o assunto.

Vamos começar pelo começo. O QUE É CARBOIDRATO.

Carboidrato é uma biomolécula que consiste de átomos de carbono (C), oxigênio (O) e hidrogênio (H).

“WTF? Não disse nada”.

Calma. Deixe-me explicar melhor. Carboidrato é geralmente o termo dado à alimentos que contém em sua composição carboidratos complexos ou simples. Carboidratos complexos são grandes cadeias de açucares. Açúcar é um carboidrato simples.

Confuso? Calma que eu vou me aprofundar mais.

Por enquanto esqueça do açúcar branco refinado que está à venda nas prateleiras do supermercado e é adicionado em praticamente todos os alimentos processados. Este é associado à vários problemas de saúde. Vamos falar sobre ele mais tarde. Não vamos colocar o carro a frente dos bois.

Açucares simples são as menores unidades que serão realmente absorvidas e utilizadas como fonte de energia. Exemplos de açucares simples são glicose, frutose e galactose. Tudo o que for composto por mais de um açúcar será quebrado até chegar a está única molécula.

Os carboidratos complexos (como os contidos na batata e arroz) são compostos por grandes cadeias de açucares. Seu processo digestivo levará mais tempo. Por isso os ditos “especialistas”, que utilizam como critério apenas o índice glicêmico, recomendam a ingestão deste tipo de carboidrato, já que as grandes cadeias de açucares levarão certo tempo para serem digeridas e quebradas até que se tornem moléculas de açucares simples, para daí então serem levadas para dentro das células (com ajuda de um hormônio chamado insulina) e utilizadas em forma de energia ou estocadas em forma de glicogênio muscular e/ou hepático (grandes cadeias de glicose acumuladas nos músculos ou fígado). Os carboidratos simples (açúcares contidos em frutas por exemplo) não são recomendados por especialistas em dieta low-carb, paleo e cetogênica, principalmente pelo fato de aumentarem o índice glicêmico (quando a insulina é secretada pelo pâncreas para que permita que estes açucares simples entrem nas células, e então sejam transportados).

Isto tudo acaba dificultando o entendimento de algo simples que não é 100% explicado pelos que divulgam estas dietas “carbofóbicas”.

Até agora você já deve ter um entendimento sobre os seguintes termos:

1 - Carboidrato: alimento que contém açucares - complexos e simples

2 - Carboidratos complexos : grandes cadeias de açucares

3 - Carboidratos simples: uma única partícula/unidade de açucar

4 - Açúcar: monossacarídeos/açucares compostos por uma única partícula que será finalmente absorvida e utilizada como fonte de energia ou estocada. Exemplo: Glicose, frutose.

5 - Glicogênio: grandes cadeias de glicose estocadas nos músculos e/ou fígado.

Agora que você já sabe o que realmente é um açúcar (bioquimicamente falando), podemos passar para o próximo passo: porque você não deve temer açucares.

Primeiro de tudo, o termo “açúcar” é utilizado para descrever duas coisas iguais, mas diferentes. Primeiro é o termo que descrevi nos parágrafos anteriores, de acordo com a bioquímica. O segundo é o popular açúcar branco refinado, que é tão demonizado nos dias de hoje (e com toda razão). Para que se possa ter um entendimento real do que ele realmente é e como conseguir alcançar objetivos em termos de ganho ou perda de peso, é necessário que se faça esta distinção.

O açúcar refinado tem um nome específico que infelizmente não ficou tão popular quanto o termo açúcar. Que é sacarose. A sacarose é composto por uma molécula de glicose e uma de frutose. Este açúcar refinado é utilizado em larga escala pela industria alimentícia na produção de alimentos processados, como biscoitos, pães, sucos, refrigerantes e todo tipo de lixo (que eles chamam de comida) processado.

Os especialistas carbofóbicos geralmente associam a palavra açúcar à ganho de peso. Porém sem se diferenciar de que tipo de açúcar estão fanado: o primeiro, termo bioquímico para monossacarídeos, ou o segundo, açúcar de mesa, branco e processado, utilizado em larga escala pela industria alimentícia.

Porque o açúcar processado é ruim?

No processo de fabricação do açúcar refinado, o alimento original (na maioria cana de açúcar) é aquecido e retirado tudo o que não seja glicose+frutose. Ou seja, toda a fibra e micronutrientes (minerais e vitaminas) são retirados, deixando apenas aquela partícula branca de sabor doce.

Porque ela é ruim? Primeiro por ser isolado. Nada na natureza vem isoladamente. Todo alimento é um pacote completo. Segundo por ser altamente calórico. Se você olhar o valor nutricional no verso de qualquer embalagem de alimentos processados e/ou refinados vai ver que eles tem uma alta densidade calórica e, na grande maioria, baixa densidade nutricional. Ele foi feito para durar nas prateleiras dos supermercados e ter um sabor atrativo e viciante. Assim os produtores não teriam grandes perdas com o curto prazo para perecimento do produto, facilitando assim o seu transporte e deixando o produto disponível par o consumo por maior período de tempo. E o mais importante, a industria alimentícia manipula o alimento para ter um sabor forte e intenso. Por isso alimentos processados são suculentos, muito salgados, muito doces, saborosos, e geralmente difícil de se abandonar.

Os açucares encontrados em alimentos de verdade, como frutas e vegetais, têm açúcar em sua composição. Esta é a diferença. Eles não “são açucares”, como muitos blogs e videos falam. Eles são um pacote completo de macro e micronutrientes. Em sua composição você vai encontrar todos os macronutrientes (proteína, gordura e carboidratos), além de fibra, que é um carboidrato que seu corpo não absorve e está associado a vários benefícios, como redução de colesterol, e consequente prevenção de problemas cardiovasculares, além de melhorar a digestão.

Durante as décadas de 80 e 90 se demonizou a gordura. Porém existem tipos diferentes de gordura. A gordura saturada cujo consumo está associado à problemas cardiovasculares. E a gordura de abacate, nozes e castanhas. Qual destas você acha que deve ser evitada?

É muito fácil convencer alguém que apenas um elemento da alimentação é o responsável pelos problemas de saúde e ganho de peso. As pessoas se sentem mais propensas à desistir de um único elemento da alimentação do que se educar e cortar o que realmente as deixa viciada, como comida processada, queijo e gordura saturada.

Embora seja verdade, açúcar é ruim para a saúde e está associado com ganho de peso e obesidade, esta não é toda a verdade. Fatos foram omitidos que impactam no entendimento das pessoas sobre o que realmente é carboidrato. É necessário que se faça a distinção do que é o termo bioquímico açúcar e o que se conhece popularmente como açúcar.

O que está tornando as pessoas obesas é o excesso de calorias. E isto vem da combinação de dois fatores: sedentarismo e alimentação inadequada.

Próxima vez que você for consumir um alimento aprenda a pesquisar o que está contido nele e qual o valor energético. Se ao fim do dia você ingerir mais calorias do que você consumiu, este excesso será estocado em forma de gordura. Não importa se estas calorias são oriundas de gordura, carbs ou proteína.

Espero que estas informações tenham te ajudado a entender o que é realmente açúcar e o que você deveria evitar. Você precisa ter acesso ao conhecimento certo e, principalmente, aplicar este conhecimento na prática. Somente assim você obterá resultados.

Para mais informações sobre este e outros assuntos você pode checar o canal Pinho Calistenia no Youtube e a plataforma de ensino escola.pinhocalistenia.com

Abraço e até a próxima

Jose Pinho Junior5 Comments